Alimentar-se bem é fundamental para evitar o diabetes gestacional

18


 


A gravidez é um momento único na vida das mulheres que sempre sonharam em ser mães. E é também um período que requer ainda mais cuidados e atenção com a saúde. O Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão (CIDH), da rede do Governo do Ceará, que no ano passado realizou 1.076 atendimentos às futuras mamães, reforça que durante os nove meses de gestação é preciso adotar hábitos saudáveis, com uma dieta balanceada e a prática de exercícios, para evitar ou tratar o diabetes gestacional. Este ano, até abril, 369 atendimentos a gestantes foram feitos.  


Toda gravidez traz alterações na produção hormonal, essas mudanças são naturais e fundamentais para o desenvolvimento da criança e isso não quer dizer que o excesso no aumento de peso seja o correto. A gestante não precisa comer por dois, e sim adotar uma alimentação saudável, com alimentos de alto valor nutritivo e pouco valor calórico, enfatiza a nutricionista Marília Holanda


Atendida no CIDH desde os 17 anos, quando foi diagnosticada com diabetes tipo 1, a cabeleireira e estudante de enfermagem Mayara Sousa Santos, hoje com 26 anos realiza o sonho de estar grávida. Sempre quis ser mãe. E me planejei para este momento. Há seis semanas a atenção comigo é redobrada, sei que a minha saúde é fundamental para a saúde do meu filho”, diz. Por conta da diabetes, Mayara já vai ao CIDH periodicamente e garante que agora vai ser mais cuidadosa. “Fui para a minha primeira consulta depois de grávida com a nutricionista e vou continuar me alimentando bem, até comendo aquele feijão que não gosto muito, ri ao falar.


A dieta da gestante com diabetes não difere muito da adotada por uma gestante com as taxas glicêmicas desejáveis. Toda futura mamãe deve procurar um profissional capacitado. “Fazer dieta sem acompanhamento pode interferir ainda mais na saúde da mãe e do bebê, enfatiza a nutricionista. O planejamento alimentar adequado oferece para a criança nutrientes importantes para o seu desenvolvimento sem elevar a glicose no sangue da mãe.


O cardápio para as gestantes, com diabetes gestacional ou não, deve ser composto por uma alimentação diversificada, mas sempre evitando alimentos ricos em açúcar e gordura. O indicado é comer pequenas porções, em intervalos semelhantes e fazer o equilíbrio entre os nutrientes como: proteínas, vitaminas, fibras, verduras, frutas e fontes de gorduras saudáveis. “Outra orientação importante é não pular as refeições. Isso faz com que seja mais difícil em tentação, diz nutricionista. Os alimentos ricos em carboidratos devem ser consumidos preferencialmente na forma integral, como arroz integral, pães integrais, cereais e em quantidades determinadas pelo nutricionista que acompanha a gravidez.

Acompanhamento de gestantes


No CIDH, o atendimento às mães com diabetes acontece às segundas, quartas e sextas-feiras, no período da manhã. As mulheres são acompanhadas por nutricionistas, enfermeiras e endocrinologistas. Com o tratamento é possível manter os valores glicêmicos da mãe e do bebê adequados. O encaminhamento ao centro é feito através das unidades de saúde do Estado.


Em muitos casos, com o nascimento da criança, a doença some. Mas é importante que a nova mãe retorne ao médico. “Entre a 4ª e 12ª semana após o parto, a mãe deve realizar de novo o teste de tolerância à glicose para saber se a diabetes permaneceu ou não”, aconselha Marília.

Assessoria de Imprensa – IPC/ CIDH / Lacen – Suzana de Araújo Mont’Alverne