A HEGEMONIA EM CRISE É A DA CASA GRANDE

18



por Maria Cristina de Queiroz Nobre                                                                                                                       Professora da UECE, Doutora em Sociologia.


O caráter capitalista do Estado torna a democracia desnecessária em tempos de crise de hegemonia. Mas que hegemonia está em crise no Brasil se os governos do PT atendem prontamente aos interesses do grande capital, dos bancos, montadoras de automóveis, grandes construtoras?


A hegemonia em crise é a da Casa Grande, do tempo ainda presente em que senhores precisam de serviçais a todo momento, de um país que culturalmente se sustentou na acentuada diferença entre as classes sociais, que não suporta dividir espaços com os que vieram de baixo.


Lula é o símbolo desse país que ascendeu a rasos estratos de classe média, que viabilizou algum crédito para os mais pobres em ato que fortalece tanto o sistema financeiro como dá a possibilidade da faxineira e porteiro comprarem carro com prestações a perder de vista e a juros altíssimos.


Lula reflete o país da ousada Jéssica, a filha da comedida empregada Val, que saiu do sertão do Nordeste para estudar em universidade pública e o faz com nariz empinado, olhando no olho porque sabe ser igual.


Lula é síntese da contradição do PT e seu minguado programa social democrata, com financiamento do capital e ações de combate à fome. Lula é o aliado do grande capital que tem DNA de povo, que não esquece a sua fome e de tantos outros enquanto se esbalda nos salões das elites, que mantém na cabeça o suado macacão de assalariado ao vestir seus ternos elegantes, que pendurava na sala o diploma de torneiro mecânico enquanto criava a UNILAB para africanos e brasileiros estudarem juntos na cidade símbolo da libertação dos escravos.


LULA É O MAL ESTAR QUE JÉSSICA CAUSA! NAS RUAS PELA DEMOCRACIA E POR LULA. #NãoVaiTerGolpe