XIV Encontro Mestres do Mundo tem início nesta terça-feira em Fortaleza

34

Durante o mês de junho, os municípios de Fortaleza, Quixadá e Juazeiro recebem a XIV Edição do Encontro Mestres Mundo, evento estruturante da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará), que reunirá os Tesouros Vivos da Cultura do Ceará, representados pelos 70 Mestres e Mestras da Cultura vivos, 13 grupos e 3 coletividades, reconhecidos como detentores dos saberes da cultura popular tradicional e do patrimônio imaterial do Estado do Ceará.O Encontro Mestres do Mundo oferece uma vasta programação cultural gratuita e aberta ao público, durante os seis dias de evento, com atrações regionais e nacionais. A XIV Edição traz uma homenagem ao professor Gilmar de Carvalho, que se encantou em 17 de abril de 2021, e deixou um amplo legado com mais de 50 livros, sendo referência nacional na área de tradições e culturas populares.

“O Encontro Mestres do Mundo é um momento de grande força, beleza e de compartilhamento de saberes e fazeres dos mestres e mestras da cultura do Ceará. É um encontro de experiência artística, cultural e educativa que movimenta as artes e ofícios desses senhores e senhoras, guardiões de saberes e de memórias ancestrais, ao tempo que são artistas contemporâneos. Neste ano, estamos realizando o Encontro em ambientes e cidades distintas, vinculando a programação à Rede Pública dos Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, no caso, a Biblioteca Pública, Theatro José de Alencar, Cineteatro São Luiz, Casa de Saberes Cego Aderaldo e Vila da Música. Na Edição XIV, estamos homenageando o nosso querido Gilmar de Carvalho, professor e pesquisador que teve e tem um papel vital nas políticas culturais cearenses, em especial, a cultura popular e tradicional. Mais do que pesquisador, o Gilmar era amigo afetivo e presente na vida de muitos mestres e mestras da cultura. Portanto, é uma bela e justa homenagem ao nosso querido, também mestre, Gilmar de Carvalho”, enfatiza o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Fabiano Piúba.

“Este encontro compõe as políticas públicas da Secult voltadas para a valorização do patrimônio cultural cearense, em especial na sua dimensão imaterial, que além das celebrações, lugares, formas de expressão, saberes e fazeres tradicionais das mestras e mestres, grupos e coletividades, guardiões de ofícios que nos remetem às memórias e histórias formadoras da nossa sociedade”, ressalta a coordenadora de Patrimônio Cultural e Memória da Secult CE, Cristina Holanda.

Tesouros de Gilmar – madeira matriz 

“O tema “Tesouros de Gilmar – madeira matriz apresenta um Gilmar vivo, presente, atuante, por meio de todo o legado que nos deixou, confirmando mais uma de suas teses: de que é possível permanecermos vivos por meio do que está perpetuado pela escrita. Tesouros de Gilmar, madeira matriz, se utiliza de uma intercessão de ida e vinda, de laços que se cruzam dos Tesouros Vivos e Encantados do Ceará com Gilmar e da escrita deste que os difunde, possibilita compreensão e reconhecimento, lhes deu e dá difusão e poderá estreitar laços com a juventude. Nos Tesouros Vivos temos a madeira matriz estética dos saberes ancestrais, não apenas guardados na memória mas, sim, na vida pulsante constituída pela fé, alegria e formas de resistir criando, recriando, reconstituindo no presente o que é urgente para si e/ou seu coletivo social. Esta edição, além de fomentar os Tesouros Vivos e Encantados, os Mestres/Mestras e seus saberes, reflete sobre as políticas de patrimônio e suas urgências, promove atividades formativas e atua de forma sensível sobre as singularidades destes homens e mulheres que promovem formas de vida socialmente sustentáveis; além de  trazer um momento de aconchego, memória, saudade e reconhecimento deste grande cearense que foi Gilmar de Carvalho” destaca Lourdes Macena, curadora do evento.

Formação, Memória, Saber e Reconhecimento

Com o primeiro dia dedicado a ações formativas, o evento terá um momento inicial no Seminário Interdisciplinar de Patrimônio Cultural Imaterial, realizado na terça-feira, 7/6,  de forma virtual através do Canal no Youtube da Secult Ceará, sob a coordenação de Aterlane Martins e Hildebrando Maciel (curadores assistentes).

Já na quarta-feira, 8/6, às 10h, o Mestres do Mundo chega à Biblioteca Pública Estadual do Ceará, com  a abertura da Exposição “Gilmar de Carvalho e seus tesouros”, que ficará em cartaz até 30 de julho, trazendo Xilogravuras, cordéis e um vasto acervo bibliográfico de Gilmar de Carvalho disponível para visitação. A exposição contará com a presença do Mestre João Pedro do Juazeiro. Na sequência, a atividade inclui a Oficina “Xilo e Cordel – Conexões possíveis entre cultura popular e literatura”, realizada das 13h às 17h,  com o Mestre João Pedro e a educadora e cordelista Julie Oliveira.

Encontro itinerante

A itinerância marcará esta XIV Edição do Mestres do Mundo. No segundo dia (8/6), às 18h30,  o evento chega também ao Cineteatro São Luiz, com uma abertura oficial de lançamento intitulada “Entre Rabecas e violeiros, o litoral entra na dança”, inspirada na obra de Gilmar de Carvalho. A atividade contará com apresentações da Mestra Ana da Rabeca, dos Mestres Violeiros Geraldo Amâncio e Guilherme Nobre, do Mestre Hugo e do Coco da Majorlândia, além da exibição do MiniDoc: Dona branca e sua cerâmica do Ipu, de direção de Esaú Pereira e Lourdes Macena.

Na quinta-feira (9/6) o evento se despede de Fortaleza, com atividades para todos os públicos realizadas no Theatro José de Alencar, das 15h às 21h. A Roda Semente, voltada para o público infantil, abrirá a tarde no Jardim de Burle Marx, promovendo o encontro com os mestres e trazendo em pauta a Brincadeira de Bonecos, Cassimiro Coco, bois e reis mirins. Na sequência, ocorre a Roda dos Mestres e o Ritual “Velho amigo”, inspirado na obra de Gilmar de Carvalho, ocorrendo no Espaço dos Encantados, com Mestres Geraldo Amâncio e Guilherme Nobre. No turno da noite, também no jardim transformado em arena dos Mestres e Mestras, ocorre o Tirinete com apresentações dos grupos e coletividades como o Toré com os Jenipapo-Kanindé, o Coco de Iguape, o Zé Pio e Boi Ceará, o Maracatu AZ de Ouro e as atividades de Parahyba & Cia. Bate Palma.

Quixadá

No dia 15/6, das 8h às 12h, será a vez de Quixadá receber o XIV Encontro Mestres do Mundo – Tesouros de Gilmar, madeira matriz -, reunindo os mestres do Vale do Jaguaribe e Sertão Central, Sertões de Canindé e Maciço de Baturité. Reconhecida pelos seus monólitos, folguedos, mestres dos saberes e fazeres e Profetas da Chuva, Quixadá sediará a segunda parte do Encontro com atividades como a Exposição Valores do Meu Lugar, com abertura às 8h, na Casa de Saberes Cego Aderaldo, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado. Das 9h às 12h serão realizadas as Rodas dos Mestres e Mestras, seguidas da Terreirada com apresentação do Reisado Boi Coração, do mestre Chico Emília, finalizando com o Forró dos Mestres com Luís Paulo de Quixeramobim, no Espaço de Convivência Luiz Gonzaga, no campus do IFCE

Cariri – Porteiras e Juazeiro do Norte

A última parada do Encontro Mestres do Mundo será realizada nos dias 17 e 18/06, no município de Juazeiro do Norte, Região do Cariri. A programação do primeiro dia incluirá atividades no Quilombo dos Souza, em Porteiras. O último dia do evento reunirá apresentações dos Reisados de Congo – Mestre Doca, Reisado Nossa Senhora Aparecida, do Coco da Mestra Marinez e Maria de Tiê, além da Roda dos Mestres, apresentações do Coco das Batateiras do Crato, Reisado dos Irmãos, da Banda Cabaçal Santo Expedito e o Cantando Marias. Finalizando as atividades, será a vez de prestigiar os mestres do Artesanato, na FEIRA DOS MESTRES, realizada em parceria  com a Associação Artesãos da Mãe de Deus e Mestres locais.

O XIV Encontro Mestres do Mundo é uma realização da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará), com produção do Instituto Assum Preto, parceria com as Prefeituras de Quixadá e Juazeiro do Norte, as secretarias municipais e apoio do Fórum Cearense de Cultura Popular Tradicional e da Comissão Cearense de Folclore. O Encontro recebeu em 2017 o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do IPHAN, pela sua importância na preservação e difusão do patrimônio imaterial cearense.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here