Violência contra mulher é tema da redação no Enem e gera polêmica nas redes sociais

21



Após o fechamento dos portões o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulgou em sua rede social o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2015: “a persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.


O tema não foi surpresa para alguns educadores, tendo em vista questões da prova do sábado, 24, que citava o feminismo e a filosofa francesa, Simone de Beauvoir. Para o educador da Escola Estadual Padre Rocha, Juscelino Lima, esse assunto além de fácil é motivo para uma maior reflexão entre os jovens e uma forma de reforçar a importância da Lei Maria da Penha, “Esse é um tema mais fácil e foi uma das temáticas que discutimos em sala de aula com nossos alunos. É importante, pois reforça a Lei Maria da Penha, trás o assunto para discussão e reflexão. Todos os temas voltados para a questão dos direitos humanos são sempre bem-vindos para a juventude”, avalia o educador.


Os deputados Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP) acusaram, em suas redes sociais, a organização da prova de tentativa de “doutrinação”. “Doutrinação explícita sobre a ideologia de gênero para 7 milhões de jovens… Vergonha.” escreveu Feliciano em seu Twitter.


Já Bolsonaro atribuiu a culpa ao Partido dos Trabalhadores (PT) pela escolha do tema da redação, “Mais ou tão grave quando a corrupção é a doutrinação importa pelo PT junto à junto a nossa juventude” e completou escrevendo que a sigla ENEM seria “Exame Nacional do Ensino Maxista”.


A Secretária Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Eleonora Menicucci, lançou uma nota em apoio a temática escolhida, “A construção de uma pátria educadora se faz a partir da discussão de questões que mudam mentalidades e com isso, provocam mudanças culturais e rompem paradigmas. A escolha deste tema, o levou para dentro de quase 8 milhões de famílias brasileiras. Isso é algo de fundamental importância” diz a nota.


Estão inscritos no Enem desse ano, 7.746.261 mil jovens, desses 4.458.265 (57,5%) são do sexo feminino. O exame é a segunda maior prova de acesso ao Ensino Superior do mundo, ficando atrás apenas de um exame realizado na China e este ano registrou o menor índice de abstenção desde 2009: 25,5%. A informação foi divulgada hoje (25) pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Na edição do ano passado, o índice foi 28,9%.


Por Hariádina Salveano