Revelações do caso Ronivaldo: não houve feminicídio e ele voltou para socorrer vítima acidentada

321

O vereador Ronivaldo Maia (PT) se pronunciou oficialmente pela primeira vez acerca do inquérito que o envolve. Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Fortaleza, na manhã desta quinta-feira (28), o parlamentar defendeu a sua inocência, disse confiar no Poder Judiciário e classificou como erro a acusação de “tentativa de feminicídio”.

“Para esclarecer, ela não estava na frente do carro, estava ao lado do veículo e quando saí, não a vi segurar o limpador, de modo que ela ficou com a mão presa nele. Se naquele momento tivesse percebido que a mão dela estava presa, jamais teria saído de lá, pois nunca foi minha intenção machucá-la.” Relata Ronivaldo Maia.

Durante o discurso, Ronivaldo explicou que tentou sair do local de forma impulsiva, mas foi categórico ao afirmar que não atropelou nem arrastou ninguém. “Para esclarecer, ela não estava na frente do carro, estava ao lado do veículo e quando saí, não a vi segurar o limpador, de modo que ela ficou com a mão presa nele. Se naquele momento tivesse percebido que a mão dela estava presa, jamais teria saído de lá, pois nunca foi minha intenção machucá-la”, narra.

“Voltei à casa dela e sugeri levá-la ao hospital imediatamente. Eu jamais a deixaria naquela situação”, afirmou Ronivaldo.

O vereador disse que está com a consciência limpa sobre os fatos e que a própria vítima endossa a versão narrada por ele, por “lealdade aos fatos”. O parlamentar afirmou ainda que, ao perceber o que houve, teve a iniciativa de prestar socorro. “Voltei à casa dela e sugeri levá-la ao hospital imediatamente. Eu jamais a deixaria naquela situação”, afirmou Ronivaldo, ao reforçar também que a discussão foi um momento isolado.

O vereador lamentou profundamente a situação e se solidarizou com todos que se sentiram afetados pelo ato. “Antes de mais nada, gostaria de pedir desculpas a todas as mulheres! Estendo e enfatizo o meu pedido de desculpas a cada uma das minhas colegas e meus colegas vereadores; a cada moradora e morador da cidade de Fortaleza; a minha família; e, principalmente, desculpas à Fernanda, a quem sempre tive e ainda tenho muita estima e respeito”, disse.

Ainda durante o discurso, Ronivaldo declarou que continuará defendendo valores humanistas e socialistas que nortearam a sua trajetória política, que remonta ao ano de 1988, quando ele assumiu a presidência da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (UMES). O parlamentar, de volta à Casa, afirmou que vai continuar prezando pela defesa da igualdade social, de gênero, de raça e de credos e que lutará contra toda forma de opressão, violência e discriminação.

“Tenho certeza e a consciência tranquila de que não sou um agressor, não é isso que me define e que eu não tentei matar a Fernanda. Eu jamais faria isso contra ela ou contra qualquer outra pessoa. Confio e acredito na Justiça, neste parlamento e na Democracia Brasileira”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here