Pratos típicos do Ceará e do Maranhão serão apresentados no IV Festival Noites Brasileiras 

41

Um encontro afetivo entre as culturas do Ceará e do Maranhão vai marcar o IV Noites Brasileiras – Festival Multicultural do Brasil, que acontece nesta sexta e sábado, dias 24 e 25 de junho, na Praça Verde e no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Além de shows, performances, teatro e painel, o evento também contará com uma feira de economia criativa com 10 estandes e um espaço de gastronomia. O acesso é gratuito, com distribuição de ingressos na bilheteria do Planetário a partir das 14 horas da véspera de cada dia de programação.

Na gastronomia, o público terá opções como pratos típicos do Poço da Draga e pizzas da Mr. Thi, entre outras gostosuras. Entre os destaques, as chefs Rosimeire Barbosa e Samya Kássia, da Barraca Delícias da Rose, do Poço da Draga. Para o Noites Brasileiras vão preparar pratinhos de vatapá de frango (com arroz e paçoca), vatapá de camarão (com arroz e paçoca), arroz de cuxá, creme de frango, creme de camarão, escondidinho de carne de sol, bolinha de peixe, bolinha de carne de sol, macaxeira frita e batata frita.

Uma novidade da área gastronômica será a participação virtual do chef Edilberto Costa, professor e proprietário do Espaço Gastronomia Edil Costa. Ele preparou duas receitas tradicionais, uma do Ceará e uma do Maranhão, mostrando o passo a passo.  Ele ensina a receita do Baião de Dois Cearense e da Peixada Maranhense. Sobre o surgimento do baião de dois, o chef explica: “O baião de dois nasceu no sertão do Ceará.  Com a escassez de comida por conta da seca, o sertanejo juntava carne seca, queijo coalho e manteiga de garrafa adicionado ao feijão verde e arroz. Era um prato farto que preparava o homem para o trabalho árduo do dia”.  O prato ganhou o Nordeste com variações diferentes, com torresmo, linguiça, entre outros ingredientes. “A diferença do baião cearense está na cremosidade oriunda do uso do queijo coalho e da manteiga de garrafa. Em alguns casos usa-se requeijão cremoso”, explica.

Sobre a gastronomia maranhense, Edilberto Costa conta que a riqueza de ingredientes que essa cozinha oferece deve-se às influências indígenas e portuguesas. “O uso de ervas como o cuxá, os peixes frescos de água salgada e os frutos do mar estão bem presentes na mesa dos maranhenses. Isso nos dá a possibilidade de criarmos uma variedade imensa de receitas”, diz. Para o chef, o prato que mais representa o Maranhão é o arroz de cuxá. “É um prato que faz parte do dia a dia nas mesas das famílias maranhenses e que eles servem aos turistas com muito orgulho”, conta. No Noites Brasileiras, Edilberto vai ensinar a preparar a Peixada Maranhense. “Escolhi um prato que retrata bem a similaridade gastronômica entre o Maranhão e o Ceará. Geralmente feita com pescada amarela e um cítrico de limão, a Peixada Maranhense tem a sua origem nos costumes dos índios, mas nos remete também às caldeiradas portuguesas. Assim como a peixada cearense, essa do Maranhão leva um ovo cozido na sua composição”, explica.

TERRITORIALIDADE GASTRONÔMICA

No painel que acontecerá no sábado pela manhã, às 9h30 no Teatro Dragão do Mar, o festival discute sobre “O futuro dos festivais: relação do artista com os territórios”. No campo da gastronomia, Edilberto também vê a importância da territorialidade. “A alimentação sempre constituiu um produto da relação do homem com o seu meio, as cozinhas regionais são exemplos mais sólidos da importância da territorialidade gastronômica. Ela apresenta não só ingredientes e sabores próprios de uma localidade, mas os apresentam a partir de uma lógica própria de técnicas de produção, preparo e serviço que transmitem valores e tradições de um determinado contexto cultural. Dessa forma, a territorialidade gastronômica se constrói na medida em que uma determinada região se torna intimamente associada a um conjunto culinário, fazendo com que a menção de uma determinada iguaria remeta a ideia que se tem de uma região”.

PROGRAMAÇÃO

O IV Noites Brasileira vai ser um encontro de pessoas que representam nacionalmente o seu estado, pessoas da cena autoral, de etnias e formações diferentes, apresentando a tradição, a contemporaneidade e a pluralidade nos palcos. A abertura será no Teatro Dragão do Mar, no dia 24, às 18h, com solenidade seguida de “Zabumba”, espetáculo musical da cearense Andréia Pires que reúne linguagens diferentes para narrar a história de uma família de agricultores que viaja em um pau-de-arara por diversos estados do Nordeste, embalada por seus ritmos. Na sequência, às 19h, começa a programação na Praça Verde que terá: DJ Luh del Fuego (MA), Maria Antonia (CE), Bruna Ene (CE), Nayra Costa (CE), Tambor das Marias da Casa de Mestre Felipe (CE + MA) e Zeca Baleiro (MA).

No sábado, a programação na Praça Verde começa no fim de tarde, às 17h. As atrações do dia são: Banda DONALEDA (CE) com participação de Andread Jó (CE), Quadrilha Junina Passagem (CE), DJ Priscilla Delgado (CE), Tributo ao Mestre Antônio Vieira, de Fabíola Líper (CE), Performance MANIFESTO RASTRO, com Áurea Maranhão (MA), Mateus Fazeno Rock (CE) e, para encerrar a edição, Unidos da Cachorra (CE), com participações de Luiza Nobel e Sâmya Kássia.

O IV Noites Brasileiras é uma realização da WM Cultural, com o apoio institucional do Instituto Dragão do Mar, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Secult-CE), com financiamento via Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Agradecimento: Coca-Cola sem Açúcar. Coprodução: Associação Cênica, Parceria: Provídeo | Lugar ArteVistas.

SERVIÇO

IV Noites Brasileiras – Festival Multicultural do Brasil – Dias 24 e 25 de junho de 2022 no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Shows na Praça Verde: Dia 24 (sexta) a partir das 19h e no dia 25 (sábado) a partir das 17h, com entrada permitida até às 20h. Painel sobre “Futuro dos Festivais”, no sábado, às 9h30, no Teatro Dragão do Mar. Endereço: Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema. Instagram: @festivalnoitesbrasileiras / Facebook: noitesbrasileirasmulticultural / Capacidade: 3.000 pessoas. Os ingressos são gratuitos e serão disponibilizados na bilheteria do Teatro (para o evento de abertura no dia 24 com espetáculo Zabumba) e na bilheteria do Planetário do Dragão do Mar (para a Praça Verde). Para a programação do dia 24, retirada a partir do dia 23, a partir das 14h; para shows do dia 25, retirada a partir da véspera, no mesmo horário. Bilheteria do Dragão do Mar: (85)3488-8617.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here