Haddad vence resistências e seu nome começa a unir PT

16


Quatro dias após o anúncio da chapa Lula-Haddad-Manuela, o ex-prefeito de São Paulo começa a quebrar as resistências internas dentro do PT ao seu nome e rapidamente se consolida como nome de consenso para eventual substituição de Lula se o veto judicial se confirmar. Um fato importante foi o incisivo apoio de Jacques Wagner a ele. Nesta quarta (7), Wagner, agora candidato ao Senado, afirmou que Haddad assumirá “rapidamente a dianteira” na disputa eleitoral, se precisar assumir o lugar de Lula.


Um quadro histórico do PT, ouvido pelo Valor Econômico, observou que Haddad “amadureceu muito” nos últimos tempos. Um dirigente da segunda maior corrente petista, a Democracia Socialista (DS), diz que a opção por Haddad é consenso na tendência. 


Em reunião da Executiva Nacional do partido em Brasília nesta quarta, sem a participação de Haddad, discutiu-se a possibilidade de o PT entrar na Justiça para que ele possa representar Lula nos futuros debates. Também na reunião, a Executiva aprovou a entrada do PCdoB na coordenação da campanha. Nádia Campeão, que foi vice de Haddad na prefeitura paulistana, e Walter Sorrentino serão os representantes dos comunistas.


(Brasil247)