Governo quer demitir mais de 1.200 vigilantes da Seduc

24



O Sindicato dos Vigilantes do Estado do Ceará convoca a categoria para se manifestar contra o governo que quer demitir mais de 1.200 vigilantes lotados na Secretaria de Educação do Estado (Seduc).


A Seduc não renovará os contratos com as empresas de segurança e a partir das 00h00 de domingo, dia 08 de novembro, não haverá nenhum vigilante trabalhando em qualquer escola do Estado, tanto na capital quando no interior. A informação obtida é que os diretores das escolas receberão as chaves das mãos dos vigilantes e não se sabe como ficará a segurança de alunos e professores.


Mais de 600 vigilantes já haviam sido demitidos e agora essa situação alarmante só aumentará o índice de violência nas escolas estaduais, além de deixar milhares de trabalhadores sem emprego. Parece que o Governo do Estado do Ceará acha pouco o título de um dos estados mais violentos do país”, destaca o presidente do Sindicato dos Vigilantes, Daniel Borges.


Ainda segundo ele, a categoria não ficará calados diante deste quadro e o Sindicato não medira esforços para reverter a situação, “os vigilantes não podem pagar pela crise, o Governador precisa rever essa situação são mais de 1.200 pais de famílias que ficaram serão demitidos” conclui Daniel.


Por Hariádina Salveano com informações do Sindicato dos Vigilantes