Deputado Chico Lopes e militantes defendem o ex-presidente Lula na Praça do Ferreira,

18



Em manifestação realizada na manhã desta sexta-feira, 4/3, na Praça do Ferreira, cartão postal e ícone político e social de Fortaleza, o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE) reforçou a defesa popular do ex-presidente Lula, contra os ataques sofridos hoje, em decorrência de mandado de condução coercitiva autorizado pela Justiça e cumprido pela Polícia Federal, sob holofotes e helicópteros da imprensa. Chico Lopes e cerca de 200 pessoas participaram da primeira manifestação contra os abusos cometidos em relação ao ex-presidente Lula, chamando atenção de quem passava pela Praça do Ferreira, coração do Centro da capital cearense. 


“A população de Fortaleza, assim como a do Brasil como um todo, reagiu rapidamente a essas notícias, que mostram o nível a que chegou o acirramento do embate político no nosso País, com uma tentativa desesperada de macular a imagem de Lula, ex-presidente reconhecido internacionalmente como uma das maiores lideranças globais da classe trabalhadora, do combate à fome, da promoção da inclusão social”, destacou Chico Lopes, na Praça do Ferreira, ao lado de vários militantes do PCdoB, do PT, de parlamentares, lideranças sindicais, comunitárias e de movimentos populares, além de trabalhadores em geral.


Novas manifestações estão sendo agendadas ainda para esta sexta-feira, em Fortaleza e em cidades do Interior cearenses. Sempre reforçando a defesa do ex-presidente Lula, o deputado federal Chico Lopes também concedeu, desde cedo, diversas entrevistas a jornais e emissoras de rádio, destacando a importância da ampla mobilização social quanto ao tema, além de empreender ações de comunicação nas mídias sociais.


Para o deputado Chico Lopes, o cumprimento de mandado de condução coercitiva foi uma operação desnecessária, golpista e perigosa, voltada para os interesses de setores da grande imprensa e para a direita, com consequências imprevisíveis para o Brasil, inclusive risco à segurança institucional. 


“Além de estranharmos muito essa medida ser tomada em uma sexta-feira, dia em que o Congresso Nacional está desmobilizado, dificultando a reação dos deputados federais que se preocupam com a democracia, o estado de direito e o contexto político do País, também estranhamos a autorização dada para a operação, com mandados de condução coercitiva para obrigar o ex-presidente a prestar depoimento”, aponta o deputado Chico Lopes. 


Espetáculo x esclarecimentos


“Ora, em nenhum momento o ex-presidente Lula se negou a prestar depoimento. Tanto que já o fez, recentemente, esclarecendo e dando todas as informações, sem nenhum problema, sem nenhuma dificuldade. Para que mandado de condução coercitiva? Apenas para gerar um espetáculo para a grande imprensa, com policiais na porta da casa do ex-presidente que mudou a história do Brasil, promoveu a inclusão social de 40 milhões de pessoas, se tornou um líder internacional pelos avanços sociais e pelo novo papel do Brasil no cenário mundial?”, questiona o parlamentar.


“Mas não adianta operação, mandado, helicóptero filmando… O povo sabe a verdade. O avanço das forças reacionárias, a tentativa de forçar um ‘terceiro turno’ da campanha eleitoral, o inconformismo da direita com a vitória da Dilma, as tentativas de descredenciar o ex-presidente Lula como possível candidato em 2018 são o verdadeiro contexto político que nós estamos vivendo”, acrescenta Lopes. 


“É um contexto muito perigoso. Se as instituições não agem e se permitem esse tipo de quadro, de excessos claros e injustificáveis, o povo vai às ruas, reagir diante de tantos excessos e defender as conquistas sociais e o futuro deste País”, aponta Lopes. “Lula já enfrentou a ditadura, com perseguições, ameaças muito duras. Ele vai saber se portar e enfrentar isso, resistir e lutar pela verdade, junto com o povo”.