Chico César traz show para o Ceará mesclando mensagem romântica com questões sociais

20


O cantor paraibano Chico César, chega ao Ceará para uma serie de shows. Serão três, nos palcos do Sesc de Iguatu, 31 de março, em Juazeiro do Norte, 1º de abril  e em Fortaleza, 02.  


O novo trabalho, “Estado”, é um disco que une a riqueza dos ritmos brasileiros à sonoridade universal. Num mesmo álbum, samba, forró, frevo, toada e reggae se misturam e dão vida ao novo trabalho de Chico César.


O artista fala que o trabalho é o resultado de um processo maturado ao longo de novas experiências vividas. “Ter passado, os últimos seis anos de minha vida como gestor público de cultura na Paraíba, lugar onde nasci e vivi os meus primeiros vinte anos, agudizou minha percepção das contradições tão presentes entre pujança criativa e a relativa pobreza de meios de produção. Mas também aguçou os meus sentidos do afeto e da criação. Reencontrei-me aí com o meu lugar de nascença, inclusive com as minhas representações amorosas dele, as mesmas de sempre e outras transformadas. O resultado é este “Estado de Poesia”, explica Chico.


SOBRE CHICO CÉSAR


O paraibano de Catolé do Rocha, Francisco César Gonçalves nasceu em 26 de janeiro de 1964, aos dezesseis anos Chico César foi para a capital João Pessoa, onde se formou em jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba, ao mesmo tempo em que participava do grupo Jaguaribe Carne, que fazia poesia de vanguarda.


Em 1995 lançava o primeiro CD “Aos Vivos” (Velas), acústico e ao vivo, com participações de Lenine e o lendário Lany Gordin. Em 1996 veio o sucesso nacional e internacional através do segundo álbum, “Cuscuz Clã” (MZA/PolyGram), produzido por Marco Mazzola. No terceiro CD, “Beleza Mano”, mergulhou na cultura negra com participações do zairense Lokua Kanza, coral negro da Família Alcântara, os rappers Thaíde e DJ Hum, Paulo Moura, entre outros. “Mama Mundi”, de 2000, mostra sua qualidade de intérprete num trabalho repleto de canções e referências ao som que se faz, tanto no interior do Brasil como em diversas partes do mundo.


Em junho de 2002 seu quinto CD, o “Respeitem Meus Cabelos, Brancos”, em novembro de 2005, o sexto CD de sua carreira, ”De uns tempos pra cá”. No ano de 2008 surge “Francisco Forró y Frevo”, um mergulho do artista no espírito das duas principais festas populares nordestinas e no ano de 2012, uma celebração: sai o DVD “Aos Vivos Agora”. Com ele, uma nova versão do CD e também o vinil.


O músico sempre foi um ferrenho militante cultural, tanto que nos últimos anos dedicou parte de seu tempo aos trabalhos na Fundação Cultural de João Pessoa em 2009 e exerceu a função de Secretário de Cultura do estado da Paraíba em 2010, no governo de Ricardo Coutinho (PSB).


AGENDA


Iguatu dia 31 de março, no Sesc Iguatu


Juazeiro do Norte 1 de abriu, no Sesc, rua da Matriz, 227 centro


Fortaleza, dia 2 de abriu, no estacionamento do Sesc no São Sebastião.


— 


Por Hariádina Salveano