Audiência debater as condições de trabalho dos vigilantes contratados pela prefeitura de Fortaleza

22


Na manhã desta sexta-feira, 11, uma audiência para debater as condições de trabalho dos vigilantes contratados por empresas que prestam serviço ao Município de Fortaleza foi realizada na Câmara Municipal de Fortaleza.  A iniciativa foi do vereador Ronivaldo Maia (PT) que destacou a importância de discutir o tema e de acompanhar a relação entre os vigilantes, Prefeitura e empresas contratadas.


O parlamentar agradeceu ao Sindicato dos Vigilantes do Ceará por contribuir na construção dessa reivindicação. O vereador, também, lamentou a ausência dos representantes da SME, da Secretária Municipal de Educação, da Secretaria de Finanças.


“Isso denota o desrespeito não só com os vigilantes, mas com o povo da cidade, pois o requerimento foi aprovado por todos os vereadores que são representantes do povo. Mas não é por esse motivo que vamos deixar de debater, pois o que me moveu foi a vontade de dar satisfação a Cidade sobre essa categoria que merece respeito ”, destacou Ronivaldo.


O Presidente do Sindicato dos Vigilantes do Ceará, Daniel Borges, fez duras críticas a atual Administração. Segundo o sindicalista, a Prefeitura não quer diálogo, não se interessa em saber a situação desses trabalhadores, que estão com até três meses sem receber seus vencimentos, com o vale-refeição em atraso e até férias vencidas.


“Não é novidade a Prefeitura não ter mandado seus representantes. Em vários momentos ela já demonstrou não ter preocupação com os vigilantes. Tem trabalhadores que prestam serviço nas UPAS, Postos de Saúde e escolas municipais, que estão com até três meses dos seus vencimentos atrasados.Tentamos dialogar, mas eles não tem interesse de resolver. Muitas vezes desviamos até da nossa função, trocando gás e sendo porteiro para garantir o nosso emprego”, denunciou Daniel.


Ronivaldo ainda informou que já encaminhou um projeto de lei para garantir que seja estabelecido já no edital de licitação das empresas prestadoras de serviço, a abertura de uma conta-corrente exclusiva para deposito de valores referentes aos direitos trabalhistas desses terceirizados. Para o parlamentar, essa iniciativa evita que atrasos de vencimentos aconteçam, além de dar transparência aos tramites do Executivo no que diz respeito aos pagamentos de empresas contratadas.



Por Hariádina Salveano