Ato púbico em defesa da Enfermagem e do SUS no centro da capital

20


Enfermeiros do Ceará e estudantes participaram do Ato Público em defesa da Enfermagem e do Sistema Único de Saúde (SUS), na tarde desta segunda-feira (16), na Praça da Bandeira, em Fortaleza. A manifestação se coloca contra os retrocessos que estão ocorrendo após a decisão da liminar concedida pela Justiça Federal de Brasília, a partir de ação movida pelo Conselho Federal de Medicina, que suspendeu a requisição de exames por Enfermeiros.


As ações executadas pelo Enfermeiro, no contexto da Atenção Básica, estão claramente descritas nas normas legais que regem a profissão, e são realizadas há mais de 20 anos na Atenção Básica no Brasil, com segurança e qualidade. Além disso, a requisição de exames por Enfermeiros está respaldada pela Resolução Cofen nº. 195/97.


Antes de percorrer as ruas do centro da cidade em direção a praça do Ferreira, o ato pronunciou os discursos indignados dos enfermeiros(as) Osvaldo Albuquerque (presidente do COREN-CE),  Ana Valeska Siebra (presidente da Aben-CE), Anisia Ferreira (vice-presidente do Senece), Ricardo Costa de Siqueira (CTAS/Cofen), deputada Augusta Brito e Fernanda Fontenele do MOVIMENTO A ENFERMAGEM LUTA!


A deputada Augusta enfatizou que os enfermeiros estão fazendo um levanvantamento dos números de atendimentos feitos nos meses de setembro e outubro, para apresentaro prejuízo causado à população.


Os acadêmicos de enfermagem, preocupados com o futuro da profissão são os que mais se mobilizam nesses atos e tiveram fala representada pela estudante Eva Souza do Centro Acadêmico de enfermagem da Universidade Federal do Ceará (UFC).


O evento faz parte da mobilização nacional em defesa da Enfermagem e do SUS. Outras atividades acontecerão no decorrer desta semana para informar e conscientizar a população menos favorecida, a mais atingida com este grande retrocesso. Na quinta-feira (19), o ato público acontecerá no município de Sobral, onde nota assinada pela secretaria de saúde tem causado revolta.