A principal bandeira de luta do Sindicato APEOC é pela valorização do Magistério e das atividades dos funcionários nas escolas

22


O Sindicato APEOC, representante legal dos professores da Rede Estadual e das Redes Municipais de Ensino Público do Ceará, reconhece e apoia os movimentos sociais e a mobilização dos trabalhadores como forma de pressionar os governos a atender as reivindicações das categorias profissionais.


Ao longo de mais de 54 anos, o Sindicato APEOC esteve sempre ao lado dos profissionais da Educação do Ceará, defendendo os direitos dos trabalhadores por meio de uma ação eficaz, dialógica e democrática. Baseado nessa estratégia de luta, travamos inúmeras batalhas e comemoramos muitas conquistas. Do ponto de vista do servidor, essas vitórias se refletem em melhorias na remuneração, na defesa a direitos ameaçados e na ampliação de benefícios. Do ponto de vista da Educação Pública, nossa luta vem garantindo muitos ganhos na melhoria das condições de ensino e trabalho, expansão da rede, realização de concurso público, entre outras.


Neste momento, a principal bandeira de luta do Sindicato APEOC e da categoria é pela valorização do Magistério e das atividades dos funcionários nas escolas, por meio do reajuste geral dos servidores, em atraso há quase seis meses. Além disso, as péssimas condições de trabalho nas escolas e os constantes atrasos na liberação de processos funcionais vêm tornando a situação insustentável. Insatisfeitos, os servidores públicos da Educação deflagraram greve geral no dia 25 de abril. Estamos há 40 dias com as atividades paralisadas em quase todo o Estado pela intransigência do Governo do Estado em desrespeitar a data-base da categoria, que é 1° de janeiro.


O Sindicato APEOC lidera mais esta batalha e vem mobilizando os trabalhadores de norte a sul do Ceará com a realização de debates, plenárias, atos públicos e grandes manifestações. Além de conscientizar os próprios servidores para a defesa de seus direitos, também chamamos a atenção da sociedade para o descaso com a Educação.


Na última quinta-feira, dia 03 de junho, promovemos mais um Ato na sede da Secretaria da Educação do Estado como forma de manter os trabalhadores mobilizados e para pressionar o Governo a voltar a negociar. A atividade foi aprovada na última Assembleia Geral, realizada no dia 25 de maio. Durante o Ato, um grupo de professores e estudantes resolveu, sem nenhuma orientação do Sindicato, ocupar algumas salas da Seduc, inclusive fechando o acesso a alguns setores com uso de correntes e cadeados. A ocupação não foi aprovada em Assembleia e, por isso, não pode ser vinculada às atividades de greve sugeridas e aprovadas pelo conjunto da categoria na instância máxima de deliberação que é a Assembleia.


O Sindicato APEOC considera a iniciativa da ocupação legítima por parte de quem resolveu promovê-la e credita aos proponentes dessa atitude todas as consequências que poderão advir dela. A entidade não apoia esse tipo de tática nesse momento da luta dos trabalhadores em greve. Além de ser um risco do ponto de vista político e jurídico, a iniciativa pode impactar na paralisação de uma série de serviços referentes à atividade funcional dos próprios professores e na prestação de serviços aos estudantes.


Independentemente da ocupação da Seduc, o Sindicato APEOC vai dar continuidade à agenda de atividades da Greve Geral da Educação. Até segunda-feira (06), vamos realizar uma série de plenárias regionais em 14 municípios cearenses para debater com a categoria os pontos da pauta de reivindicações e a negociação com o Governo do Estado. Na próxima terça-feira (07), seguiremos com um Ato em frente à sede da Secretaria da Fazenda, no centro de Fortaleza. E nesta quarta-feira (08), a categoria voltará a se reunir em Assembleia Geral para definir os rumos do movimento.


Sindicato APEOC